sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Bookeando #09 - A Rainha Vermelha

Título: A rainha vermelha
Série: A rainha vermelha #01
Autor(a): Victoria Aveyard
Ano: 2015
Editora: Seguinte
Nota: 4/5

Sinopse:O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.

Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho? Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.
********************************************************************************************************************************************

E aí, bora bookear?

Eae, amantes de distopias e fantasias sem motivos aparentes que sonham liderar uma revolução ou participar de uma seleção... Só um instante.

Interrompemos essa resenha para um breve pronunciamento de nossa majestade Charles Xavier:  "Vermelhos e prateados bem vindos ao Septuagésimo sétimo jogos das casas reais de Illéa onde correr ou morrer são duas opções para os nossos concorrentes e suas facções. E apenas um sobreviverá."

E a sobrevivente foi... Mare Borrow, uma personagem desconfiada e inteligente que acabou sendo ingênua em varias situações. E, apesar de ser bem construída, com defeitos e qualidades sua perspicácia e esperteza se perdeu no decorrer do livro. Contudo, posso afirmar que os acontecimentos, inusitados inclusive, vai fazer a ser como antes dando um gás a mais na sequencia do livro.

Também é vermelha de nascença, destinada a miséria e as injustiças dos soberanos considerados deuses, porém  teve a sua vida como ladra na cidade de palafitas, ofício esse exercido para ajudar sua família enquanto os soldados não vem pega-la assim como seus irmãos para o alistamento obrigatório em tempos de guerra, interrompida para se tornar uma prateada, nobre e herdeira de uma casa antiga. Tudo mentira para esconder o dom de Mare e assim não desencadear um colapso no mundo perfeito dos prateados. E essa é a primeira lição que aprendeu “Todos mentem” e “Todos traem”.

Quem for fã de distopias vai entender as referências citadas acima, pois todos esses mundos que conhecemos (Jogos vorazes, divergente, a seleção....) se encontram no Livro de A rainha vermelha de Victoria Aveyard. De certa forma esse foi um ponto ruim no livro,  pois não me mostrou nada que já não tinha visto. Menina que descobre ser especial e superior dividida em uma triângulo amoroso, “mutante”, revoluções e uma concorrente má e fútil. No entanto, o diferencial esta sem dúvida na escrita que é eletrizante e envolvente além de fazer você não parar até saber o que vai acontecer. E nas abordagens de temas sobre abuso de poder, segregação e demonstração de violência para mostrar a superioridade de poucos.

Alguns podem considerar essa obra um clichê, mas no meu vê a vida é feita de clichês se não gosta porque ainda vive e ama. Quer clichês maiores que esses. Esses foram mais um impulsionador para algo ainda maior. O fato é que a autora conseguiu criar um universo tão envolvente e por isso espero a continuação “ Espada de Vidro”.

                            “E nós vamos nos levantar. Vermelhos como a aurora”