sábado, 5 de março de 2016

Bookeando #12 - A Sorte do Agora

Título: A Sorte do Agora
Série: ---
Autor(a): Matthew Quick
Ano: 2015
Editora: Intrínseca
Nota: 5/5 

Sinopse: Bartholomew Neil passou todos os seus quase 40 anos morando com a mãe. Depois que ela fica doente e morre, ele não faz ideia de como viver sozinho. Wendy, sua conselheira de luto, diz que Bartholomew precisa abandonar o ninho e fazer amigos. Mas como um homem que ficou a vida toda ao lado da mãe pode aprender a voar sozinho? Bartholomew então descobre uma carta de Richard Gere na gaveta de calcinhas da mãe e acredita ter encontrado uma pista de por quê, afinal, em seus últimos dias a mãe o chamava de Richard... Só pode haver alguma conexão cósmica! Convencido de que Richard Gere vai ajudá-lo, Bartholomew começa essa nova vida sozinho escrevendo uma série de cartas altamente íntimas para o ator. De Jung a Dalai Lama, de filosofia a fé, de abdução alienígena a telepatia com gatos, tudo é explorado nessas cartas que não só expõem a alma de Bartholomew, como, acima de tudo, revelam sua tentativa dolorosamente sincera de se integrar à sociedade. Original, arrebatador e espirituoso, A sorte do agora é escrito com a mesma inteligência e sensibilidade de O lado bom da vida. Uma história inspiradora que fará o leitor refletir sobre o poder da bondade e do amor.
********************************************************************************************************************************************

E aí, bora bookear?

Caro Bartolomeu,

De início pensei em escrever uma carta para Richard Gere, como você fez, mas mudei de ideia em vez de escrever para contar meus problemas eu vou escrever para poder lhe ajudar. Não perdi minha mãe para o câncer mais se caso isso acontecesse ficaria arrasado. O Sr. Gere está tendo um papel muito importante nessa face da sua vida ele é sua ancora, válvula de escape além de sem um ótimo ator e de apoiar causas sócias não me admira sua mãe gostar tanto assim dele.

Deve estar sendo difícil pois ela era tudo na sua vida, seu único tesouro, mas você já tem quase quarenta anos, nunca casou, nunca morou sozinho, nem possui amigos, não estou te criticando, longe disso, quero te ajudar a seguir em frente. Penso totalmente diferente de você e sei que vai conseguir superar. Wendy é uma ótima conselheira mas ela tem seus próprios problemas e apesar de tentar ajuda-la ela primeiro tem que querer ajuda.

Nunca encontrei alguém parecido com você sempre querendo ajudar todos porem não possui ambições. Isso é algo bom de se admirar. Sua vida sem dúvida me lembra o livro “O lado bom da vida” pois é uma história fluida, cheia de reflexões e a forma como você trata de temas como abuso sexual, violência, perdas é com certeza memorável.

Mas lembre-se, cortar o cordel umbilical é essencial, divirta-se, se apaixone, sei que já fez isso você a chama de Meninatecária espero ver esse romance florescer. Não esqueça “Só há um tempo em eu é fundamental despertar. Esse tempo é agora” -Buda. Por isso, não tenha medo e continue sua busca juntamente com a padre McNamee, que figura mais excêntrica e também problemática, sem falar no seu novo amigo Max, a cada duas palavras um palavrão. Isso mostra que essas pessoas são humanas cheias de defeitos, problemas mais mesmo assim capazes de ajudar quem necessita.

Quem ler sua história não vai se arrepender e com certeza vai se identificar com algo além de receber ótimos ensinamentos budistas.

P.S Não acredito em alienígenas, não sou budista, nunca assisti nem um filme de Richard Gere. Mas estou com você.

Atenciosamente,
Saul Mota